Conforto não é felicidade!

Todos buscam ser felizes. Se existe sentimento mais almejado que este, eu não sei. Alguns creditam a felicidade ao amor, outros a uma vida confortável, à casa própria, ao carro novo... Quando não havíamos sequer conseguido nenhum desses, já nos questionávamos se bens materiais nos trariam realmente felicidade, e por que não trariam? A resposta parecia lógica, trabalhar mais, acumular mais, precisar de mais... 

Acontece que continuar vendendo a alma pra pagar as contas e guardar dinheiro pra comprar coisas, sem ter explorado mais do mundo, parecia de repente sem sentido.

Foi quando decidimos, economizar, vender nossas coisas e deixar o pouco que sobrou com amigos. Foram 4 meses de viagem pela Ásia e na volta, demos adeus a Londres e ao agito insano que vivemos por 8 anos, e mudamos para Sheffield, no coração do do Reino Unido, a beira do famoso Parque Nacional do Peak District!
 

 

DESCONFORTAVELMENTE FELIZ É UM SITE DEDICADO A EXPLORAR E COMPARTILHAR A DIFÍCIL ARTE DO “viver feliz”. Aceitar QUE TUDO MUDA, QUE TUDO TEM UM FIM, APRENDER A SER MAIS GRATO, MAIS SAUDÁVEL... ESSAS SÃO COISAS QUE ESTÃO AO NOSSO ALCANCE, MAS NÓS TEMOS QUE NOS COMPROMETER a ser disciplinados em sua busca, e isso não é fácil!

 

Quem somos nós?

dirigindo-pra-agadir
casal-capeta
camelos-marrocos

Há 15 anos nos reinventamos como humanos e como unidade, como pode?! Simples, um dia de cada vez! Quatro anos de namoro a distância (1460 dias), e mais 11 anos morando juntos, 3985 dias!! Continuamos planejando sonhos futuros, e trabalhando em projetos presentes, arriscando as nossas certezas e conforto pelas incertezas do desconforto feliz :-)

Murilo Lessa

Murilo Lessa

Tem 36 anos, Analista de Sistemas por formação, abandonou a engenharia de software para focar nas pessoas que fazem software. É apaixonado por escalada, vôo livre, treino e nutrição, e ainda não sabe o que quer ser quando crescer.

 

Viviane Lessa

Viviane Lessa

Geógrafa, professora do ensino público em uma vida passada, já deu aula em favela, morou em Londres por 8 anos, onde fez de tudo um pouco, de faxineira à cabeleireira, de garçonete à professora. Descobriu sua paixão na terapia comportamental, e hoje trabalha ajudando crianças autistas a desenvolverem suas aptidões sociais.