Os 50 tons de cinza da Capital Chinesa

Foi um choque chegar em Beijing com a qualidade do ar da cidade em frangalhos. Não era nenhuma versão do Blade Runner ou do Matrix, era a nossa morada, o nosso próximo destino, a capital da China. 

 Trabalhadores descarregam carvão em um depósito ao longo da estação ferroviária de Hefei, na província de Anhui. Outobro de 2000.

Trabalhadores descarregam carvão em um depósito ao longo da estação ferroviária de Hefei, na província de Anhui. Outobro de 2000.

A emissão de carbono em Beijing se dá principalmente pela queima de carvão, pelos mais de 5 milhões de veículos que rodam pela cidade, e por tempestades de poeira vindas das regiões Norte de Beijing. Também contribui para a péssima qualidade do ar a poeira emitida pelas construções. É uma experiência surreal!

Mesmo com tratados que prometem a diminuição do uso de carvão até 2020, ainda não há sinais de diminuição na queima e no uso de carvão pelas cidades vizinhas a Beijing. O dado mais assustador vem da consequência de se viver numa cidade como essa, em 2013 foi feito um estudo que constatou que de todas as mortes ocorridas em decorrência da poluição do ar no mundo, 40% eram de Chineses!

Nosso amigo que mora em Beijing foi parar 5 vezes no hospital em 1 ano, em decorrência de problemas respiratórios causados pela poluição da cidade! Um outro canadense que conhecemos na fila de ônibus, que mora na China a mais de 20 anos, nos contou que certa vez, assim que mudou para Beijing, precisou voltar ao Canadá dar um "descanso" porque simplesmente acordou cuspindo sangue depois de passar um mês na cidade... Difícil entender é como ambos ainda moram lá! Como se já não fosse poluíção suficiente,  acrescente a fumaça dos cigarros no cocktail de gases letal produzido em Beijing. Os chineses fumam, e muito! Em todo lugar o cheiro sufoca; na rua, nos táxis (de janela fechada), banheiros e restaurantes.

A propaganda das máscaras nos chamou muito atenção por ser direcionada ao público Ocidental, principalmente devido a normalização do problema entre a população Chinesa.

Me lembro de ter perguntado aos Chineses de Beijing (que ficaram presos no aeroporto conosco em Seul) como ficava dentro das casas, se cheirava mal ou se dava para enxergar o "smog" dentro dos cômodos, e a resposta deles saiu com um sorrisão no rosto, como se eles tivessem se divertindo com a minha pergunta "sem pé nem cabeça". Eles disseram que não... que a "fumaça" ficava só nas ruas e não entrava nas casas... Só mais tarde fui entender que eles encaram a poluição como um problema relacionado ao mau tempo, e que acham que dentro de casa estão isentos dos malefícios da fumaça e da fuligem - um grande e triste equívoco. 

Foi angustiante ver a porta e as paredes do nosso quarto no hostel Happy Dragon toda manchada de borrões feitos por panos molhados, como se alguém tivesse tentado remover as partículas de fuligem dali 😣; sem falar que quando olhávamos para o fundo do corredor da recepção, ele estava sempre "nublado". Era como se estivéssemos sendo engolidos pela nuvem de fumaça, foi opressor. Cheirava mal demais e tive uns dois de dias de desarranjo estomacal por conta dessa situação. Me sentia enjoada e enojada (não! Eu não estou grávida - antes fosse... 😂), a água tinha um gosto diferente - mesmo a engarrafada - e até a pele dos locais parece ter uma textura particular. 

 Primeiro dia em Beijing, na frente do hostel. Logo de cara deu pra perceber que nossas máscaras não seriam suficientes pra resolver o "problema" e tivemos que ir direto ao supermercado comprar uma mais "potente".

Primeiro dia em Beijing, na frente do hostel. Logo de cara deu pra perceber que nossas máscaras não seriam suficientes pra resolver o "problema" e tivemos que ir direto ao supermercado comprar uma mais "potente".

Para se ter uma idéia, as escolas chegam a fechar quando os níveis de poluição atingem o nível que experienciamos em Beijing. As ruas ficam vazias a noite e não tem como fazer turismo porque não dá pra ver nada... 😣

 Dezenas de opções de máscaras de ar, com filtro, sem filtro, de papel, de pano, descartáveis, laváveis, diversos formatos, cores e tamanhos. Items essenciais de sobrevivência viraram um item de moda.

Dezenas de opções de máscaras de ar, com filtro, sem filtro, de papel, de pano, descartáveis, laváveis, diversos formatos, cores e tamanhos. Items essenciais de sobrevivência viraram um item de moda.

É bom lembrar que não é assim todos os dias, mas mesmo assim não ficamos nem um pouco mais aliviados em saber que 21 milhões de pessoas ficariam lá quando nós fossemos embora... É preciso também entender que essa é a única realidade que a população conhece, não existe pior, nem melhor para eles... É difícil travar uma discussão sobre o problema. Imagine se essa fosse a sua realidade? Existem assuntos que não são falados ou discutidos, principalmente quando o governo tem o poder de te punir por isso. Também acontece do Governo alterar ou retirar comentários sobre qualquer publicação negativa sobre o país ou o governo nas redes sociais chinesas. O controle que o governo exerce sobre o que é dito, pensado e agido é tanto, que somem posts e publicações negativas relacionadas a poluição ou a política do país dos blogs chineses. Não dá para saber até que ponto a população simplesmente aceita que nada vai mudar... Assustador!

O uso das máscaras vai muito além da estética aqui. Nós não conseguiríamos ter aproveitado o nosso passeio se não tivéssemos garantido as nossas; que são de pano grosso, com filtros de ar, laváveis e nos salvaram pelos 5 dias que estivemos em Beijing. Na única noite que saímos sem máscara jantar com amigos, acordamos com as gargantas e pulmões ardendo no dia seguinte. Imagine o efeito acumulativo disso em um semana... um mês... um ano... Além de tudo, depois de algumas horas usando máscara, ela começa a condensar por dentro... As máscaras estão longe de serem confortáveis, elas são só indispensáveis nesse caso.

Embora a overdose de cheiro de cigarro e fuligem com esgoto dentro do nosso quarto no Happy Dragon tenha sido pungente e as vezes repugnante, mantivemos o espírito aventureiro e encaramos a balada como ela nos foi colocada. Com sorte acertamos em cheio na localização do hostel que ficava a menos de 10 minutos da estação de metrô Donsi, e também andamos muito a pé pela cidade. Realmente nos divertimos em meio a todos os contras e não nos sentimos oprimidos o tempo todo. 

Foi difícil em algumas situações críticas manter o moral do time e o bom humor nas alturas, esteve desconfortável demais em certos momentos; mas como estávamos mesmo no inferno, dançamos, abraçamos e até beijamos o capeta. Afinal, foi pra isso que viemos...
 

Referências e outros links para saber mais

The messages getting lost in Chinese smog

Breathing in Beijing's air is the equivalent to smoking FORTY cigarettes a day: Smog map of China reveals shocking extent of pollutionBeijing's smog problem is even worse than you think

Beijing's smog problem is even worse than you think