Conhecendo Hong Kong de maneira inesquecível e econômica!

Existe uma quantidade incrível de coisas pra fazer e conhecer em Hong Kong! De ônibus turísticos e passeios de barco, jantares flutuantes e caminhadas por praias e ilhas "remotas", confira nossas dicas para conhecer essa cidade vibrante de maneira econômica!

Hong Kong é formado pela península de Kowloon e outras 263 ilhas. A maior ilha é Lantau, e a segunda maior é a Ilha de Hong Kong, que é também o centro econômico da cidade.

Hong Kong é um território autônomo, e antiga colônia inglesa. A cidade tem sua própria moeda, o Hong Kong dólar, seu próprio sistema de impostos, além de não ter as mesmas restrições eletrônicas que encontramos na China Continental. A impressão de chegar em HK é a de se estar saindo da China e entrando em um outro país!

Segundo os americanos expatriados por aqui, “um minuto de Nova York é um segundo de Hong Kong”, e é fácil entender a razão. HK é uma cidade vibrante e seu centro densamente populado é um grande centro portuário e financeiro, com um famoso horizonte recortado por gigantescos edifícios que se acendem todas as noites! HK é também um famoso destino gastronômico e de compras, com milhares de mercados de ruas e lojas de grife para se perder. É impossível fazer tudo em uma visita, há muito o que se conhecer e fotografar, mas algumas experiências não podem ser desperdiçadas!
 

Transporte: dicas e economias

Economize do aeroporto ao centro!

Chegando ao saguão do aeroporto, ignore as ofertas de táxis, pacotes turísticos, e vans com preços “promocionais” e siga para a saída, em direção ao ponto dos ônibus que vão para o centro da cidade.

O ônibus A21 faz a rota Cityflyer, e vai do aeroporto até o final da Nathan Road, parando em vários pontos ao longo da avenida. Você compra o ticket com o motorista e é a opção mais barata, nos custou 23 HKD cada um. A viagem leva cerca de uma hora e ainda tem Internet à bordo!


Economize e explore a cidade a pé!

Uma boa parte de HK, especialmente o centro da península, pode e deve ser explorada a pé e, para as atrações mais distantes, há ônibus e estações de metrô por todo canto.

Para os amantes da natureza a cidade ainda oferece trilhas por praias, parques, e subidas até o alto de belíssimas vistas panorâmica.
 

Dica: Bus Day Trip!

É meio brega mas eu confesso, a gente se amarra em ônibus turísticos, aqueles típicos “Hop on Hop Off” (Sobe Desce) que passam pelas principais atrações da cidade. Em poucas horas dá pra ter se uma idéia do que a cidade tem a oferecer e depois, se ainda tiver mais tempo, você  pode voltar com calma aos seus locais favoritos.

A Ilha de Hong Kong é diferente da península no sentido de que as atrações não são tão perto umas das outras e você precisa de algum transporte pra se locomover entre elas.

O ônibus faz dois diferentes percursos pela ilha e um pela península (que nós fizemos a pé), e permitem ver as principais atrações.

Os vendedores de tickets fazem qualquer negócio, então sempre chore por um desconto ou promoção adicional como entradas para algum museu, descontos em restaurantes, etc. Por um preço camarada nós conseguimos ônibus válido por 48h, mais entrada preferencial pra subir o Victoria Peak (essencialmente uma fila rápida no trenzinho), 2 tickets Ida-e-Volta de balsa para cruzar da península pra ilha pelos próximos dias, entrada no Museu Marítimo, e um passeio de barco Sampa! Valeu muito a pena!!

 

Acomodação

Rústica e barata?! Chungking Mansions!

Ainda no ônibus em direção ao nosso hostel, comecei a pesquisar coisas interessantes e diferentes pra fazer na cidade, e achei um artigo sobre um antropólogo que passou 4 anos em um complexo predial chamado  Chungking Mansions, e fiquei maluco! "Porra Vi, a gente tem que ir visitar esse lugar!".  Bom, para a minha surpresa era lá que a Vi havia reservado nosso hostel!

As acomodações mais baratas da cidade com certeza estão ali! Quer saber mais antes de se aventurar por lá? Escrevemos um artigo inteiro sobre o lugar, confira aqui!
 

Nathan Road e arredores

Nathan Road é a avenida principal que corta a região de Tsim Sha Tsui. Mesmo que você não esteja afim de encarar o Chungking Mansions, Tsim Sha Tsui ainda vale a pena por conta da localização central. Pesquisando bem dá pra encontrar hotéis e hostels que atendem a todos os tipos de gostos e bolsos.

 

O burburinho ao longo da Nathan Road é muito interessante de se experimentar, com suas centenas de lojas, restaurantes, templos e uma série de outros negócios comprimidos ao longo da avenida.
 

Compras, bugigangas e claro, comilança!

Região de Jordan

Jordan é uma área tipicamente da classe trabalhadora, no distrito de Yau Tsim Mong. Essa área não oficial é chamada assim por conta da avenida de mesmo nomes. A região abriga diversos edifícios residenciais, escritórios, hotéis, mercados de rua, e uma variedade infinita de lugares para comer. Indianos, paquistaneses, nepalenses e outras minorias étnicas moram ali.

Para os turistas não tão “pé sujos” talvez seja um pouco desapontador, mas se você quer experimentar um pouco da vida “real” dos hong kongers o lugar é muito interessante. Perto da Nathan Road e a poucos minutos de caminhada do nosso hostel, Jordan nos foi recomendado por locais, como uma boa área para comer. Vale a pena visita!
 

Temple Street Night Market

O Temple Street Night Market fica próximo a região de Jordan e é um bom passeio de final de tarde. Um longo mercado de rua que começa ao entardecer, centenas de barracas são enfileirada pelas ruas vendendo todo tipo de bugigangas possíveis e imagináveis. Ótimos preços para comprar presentinhos e tranqueiras em geral :-)

 Diversos restaurantes ficam espalhados ao longo do mercado

Diversos restaurantes ficam espalhados ao longo do mercado

Atrás da barracas você encontra vários restaurantes com bons preços. Vale a pena sentar pra tomar uma birita e observar o intenso agito do mercado.
 

Ladies Market

O Ladies Market tem uma quantidade absurda de bugigangas chinesa e também é uma boa opção de compras de presentes e recuerdos. Fantasias infantis, roupas, chaveiros, imãs de geladeira, camisetas, relógios, bolsas, e por aí vai…

Nós achamos os preços no Temple Street Night Market um pouco melhores, com vendedores mais abertos a negociação, porém lá as opções de compra são um pouco menores.

Para comer bem e barato no Ladies Market procure pelo Milk Milk na Argyle street, bem atrás de uma barraquinha de bolsas, do lado direito, pra quem está subindo a rua. O menu fixo oferece chá, um pratão de comida e uma guarnição por 38 HKD (cerca de US$4.90). Pra nós foi o melhor do mercado!
 

Gyoza barato e sushi com desconto!

Assim como no Japão, alguns lugares vendem sushi super fresco e ao final do dia rolam descontos porque o que não for vendido tem que ser descartado!

Na Nathan Road, No 100 você encontra um pequeno shopping, nos dois andares inferiores existe um supermercado e uma cantina que vende gyozas baratos e sushi e sashimi fresco. A partir das 20h eles põe desconto no peixe, então não perca essa barganha!
 

Principais Atrações

Porto Victoria (Victoria Harbor)

Famosa pela vista ao longo de sua orla, o porto é uma das principais atrações da cidade. Dezenas de balsas e barcos saindo e chegando sem parar, bem no meio do denso centro urbano, é no porto que rola a famosa queima de fogos na virada do ano, e também onde todas as noite acontece o famoso show de lasers. A vista noturna dos prédios iluminados na Ilha de HK é muito bonita e existem várias opções de cruzeiro que exploram a área.
 

Laser show, Sinfonia de Luzes (“Symphony of Lights”)

Diariamente às 20h, dezenas de prédios ao longo da Ilha de HK ganham vida com uma grande exibição de luzes, lasers e holofotes que, sob um fundo musical e de maneira sincronizada, colorem o horizonte.

Dica: Um dos melhores lugares para assistir o show é da frente da orla de Tsim Sha Tsui, que logo cedo já fica lotada.

O espetáculo, que dura cerca de 13 minutos, já foi premiado pelo Guinness como o show de luzes e música que por mais tempo está em exibição, mas na nossa opinião deixa um pouco a desejar. Ao que parece a coisa costumava ser melhor alguns anos atrás…. Nos minutos preliminares você está no meio de milhares de pessoas, todo mundo animado e ansioso, vários anúncios a todo volume de que o show está para começar e do quão especial ele é, mas quando a coisa finalmente começa e os prédios acedem, a impressão é que o show nunca decola. A todo momento esperávamos uma explosão de luzes e cores que nunca veio. A música também deixa a desejar...

Existem opções de cruzeiros - alguns até com mais música e jantar a bordo, como por exemplo o Symphony of Lights Dinner Cruise - que podem dar um toque extra a ocasião e permitem uma volta maior pela baía.
 

Pico Victoria (Victoria Peak)

Visita obrigatória para uma incrível vista sob os gigantescos prédios da Ilha de HK! O pico é incrivelmente turístico e lotado, se prepare! Além da vista no topo você encontra vários restaurantes (caros) e lojas ultra turísticas, vendendo as mesmas bugigangas que você encontra nos mercados da cidade, mas com preços mais inflacionados.

A maneira tradicional de se chegar ao alto (e também descer) é via trenzinho, que é legal, mas caro e requer paciência por conta das fila lentas e gigantescas. A não ser que você tenha um ticket de acesso preferencial, se prepare para boas horas de fila por uma subida que leva poucos minutos. Um táxi costuma sair mais barato, e bem mais rápido. De repente você pode subir de trem e descer de táxi, ou mesmo a pé.

Dica: Deixe pra subir o pico em dia de boa visibilidade, e de preferência ao entardecer. Costuma ter mais gente mas ver a cidade acendendo lentamente é impressionante! O pico fica aberto até a meia-noite!

Dica: Alto do Victoria Peak baratinho

Um maneira mais barata e rápida de chegar ao alto é pegar um ônibus, um táxi, ou mesmo andar os 4 km da subida. Sim, dá pra chegar lá no alto de graça! Nesse link você encontrar algumas opções de diferentes caminhos para subir o Victoria Peak e outros circuitos legais.

A rota mais direta é através da rua Old Peak (Old Peak Road), que pode ser um pouco cansativa, especialmente em dias quentes e húmidos. Existem várias maneiras de chegar até a Old Peak Road, de Kowloon você pode pegar o MTR para Admiralty ou Central e seguir os sinais turísticos para Hong Kong Zoological and Botanical Gardens. Outra maneira mais fácil é usar as escadas rolantes a céu aberto pra chegar até Central - mais sobre isso logo abaixo - você chega até a Conduit Road e de lá, segue a Old Peak Road até o topo.

Os primeiros 500m da Old Peak Road correm ao longo do Hospital Canossa e vários apartamentos de luxo mas depois, a partir do Tregunter Path ela fica livre de tráfego e é coberta por árvores na maior parte do caminho.

Lembre-se de levar água e comida, e preferencialmente fazer a caminhada no começo ou final do dia, por conta do calor.
 

Escada rolante do nível médio e central (Central mid level escalators)

Enquanto para muitos pessoas chegar ao trabalho envolve caminhar por ruas congestionadas e metrôs abarrotados, para outros mais sortudos viajando entre o distrito médio e central de HK é apenas uma questão de ficar em pé segurando um corrimão, e aproveitar os mais de 1.5km de escadas rolantes que sobem ladeira acima.

A  escada rolante de nível médio e central é a maior escadaria a céu aberto do mundo, e foi construída como forma de transportar a crescente população da ilha através das suas desafiadoras ribanceiras. Antes da finalização do projeto em 1993, para chegar de um distrito a outro as pessoas eram obrigadas a seguir um circuito em ziguezague de diversos quilômetros.

A escada rolante passa por diversas áreas residenciais e comerciais, e diversas entradas oferecem a chance de subir ou descer das escadas e explorar  restaurantes, mercados e lojas. Leva-se cerca de 20 minutos para fazer todo o percurso, que é de graça e funciona das 10h30 à meia-noite. Infelizmente elas apenas sobem, você vai ter que descer andando pelas escadarias laterais :-)
 

Barco Jumbo Kingdom (Jumbo Kingdom boat)

Um dos maiores restaurantes flutuantes do mundo, o Jumbo Floating Restaurant foi construído em 1976 depois de anos de planejamento e milhões de dólares de investimento. É um restaurante colossal, construído para parecer um palácio imperial chinês, incorporando arquitetura tradicional chinesa e neons do século 21.

Esse barco incrível tem 4 andares lotados de opções de comilança que vão de refeições chiques a casas de chá e jardins de vinho. Capaz de acomodar 2300 visitantes ao mesmo tempo, o barco parece até uma pequena cidade com suas grandes escadarias e estreitos corredores ligando os vários estabelecimentos.

O restaurante é famoso pela comida do mar, mas é o seu exterior que é a sua característica mais memorável. Se você for, vá preparado, uma refeição para dois sai por volta de US 200 a US 250, e as reviews da qualidade da comida e atendimento são variadas.

 

Trilha das Costas do Dragão (Dragon's Back trail)

Você está perdoado por pensar que caminhada não é uma das atividades para se experimentar em HK, e que o único verde que você vai encontrar é no Mercado de Jade de Yau Ma Tei (Yau Ma Tei’s Jade Market), mas uma rápida olhada no mapa mostra uma realidade diferente. Espaços abertos - florestas, montanhas, praias e pântanos - representam 73% da área de HK, e parques estaduais protegem 40% da terra.

 Sim, isso é Hong Kong! Visuais inexperados na Dragon's Back Trail

Sim, isso é Hong Kong! Visuais inexperados na Dragon's Back Trail

A Dragon’s Back Trail é uma das caminhadas mais populares de HK, e com razão. As vistas são boas, a paisagem encantadora e chegar lá requer apenas uma curta viagem de ônibus da estação MTR de Shau Kei Wan.

Lembre-se que essa caminhada é muito popular e dependendo do dia pode ser eu você tenha que andar em fila em alguns trechos… Além da Dragon’s Back existem dezenas de outras caminhadas legais para fazer, algumas com até 50 km! Aí vão duas listas com várias possibilidades:



Ilha Lantau

A Ilha Lantau é a maior ilha de Hong Kong. Originalmente habitada por pescadores, a ilha passou por um grande redesenvolvimento nos últimos anos com a construção de diversos projetos como o Aeroporto Internacional de Hong Kong, Hong Kong Disneyland, e o Ngong Ping 360.

 Ilha de Lantau, com o Ngong Ping 360 ao fundo

Ilha de Lantau, com o Ngong Ping 360 ao fundo

Transporte

Um passeio pelas atrações de Lantau costuma levar o dia todo, e a viagem do centro, onde estávamos, leva cerca de uma hora. Você pode pegar o MTR a partir da estação de Central até Ngong Ping, e de lá um ônibus ou teleférico até a vila.

Outra maneira é pegar uma balsa, que leva cerca de uma hora até o porto de Lantau. Do porto a vila de Ngong Ping você pode pegar um teleférico (25 minutos até a vila), ou um ônibus (50 minutos até a vila). Também existe um mini ônibus “VIP” que leva em 30 minutos, mas nós preferimos ir no baratão :-)

Na minha opinião o teleférico é caro, e depois você ainda vai ter que atravessar a vila e subir a escadaria pra chegar no Buda.

O número 23 sai do porto e nos deixa ao lado da cidadezinha e do Monastério, que você tem que entrar pra conhecer o Templo dos 10000 Budas e fazer uma visita ao Budão. Fica tudo ali pertinho!

 

Principais Atrações de Lantau

Ngong Ping 360

É o famoso teleférico que sai de Tung Chung. Em cerca de 25 minutos ele leva até a temática, ultra comercial e cara Vila de Ngong Pin. A chamada cabine de cristal (Crystal Cabin) tem um fundo de vidro que permite ver o mar e a ampla floresta mais abaixo.


Vila Ngong Ping e Praça Ngong Ping (Ngong Ping Village e Ngong Ping Piazza)

A Vila de Ngong Ping é o típica lugar “pega turista”, com suas construções artificiais e caros restaurantes e lojas que vendem tudo o que é possível estampar com a cara do Buda.

Saindo da Vila em direção ao Grande Buda você chega até a Praça Ngong Ping que é como um cruzamento que liga as principais atrações. O famoso Grande Buda, o Monastério Po Lin, a Praça Ngong Ping e o Caminho da Sabedoria são apenas 5 minutos de caminhada da vila.

 Fazendo novos amigos na Praça Ngong Ping

Fazendo novos amigos na Praça Ngong Ping

Existem diversas barraquinha vendendo comida e mais souvenires e apesar de algumas estátuas interessantes a coisa toda também é de novo bem artificial e hiper turística.

Pra mim o interessante são as vacas que ficam soltas pela praça perseguindo os turistas, sempre atrás de comida. Elas são bem dóceis mais vão enfiar a cara em tudo o que é sacola, então fique esperto :-)
 

Monastério Po Lin (Po Lin Monastery)

O Monastério Budista de Po Lin foi fundado em 1906 é de tirar o fôlego, mesmo que esteja constantemente lotado de turistas. Muita fumaça vinda de gigantescos incensos e o poderoso som dos monges orando são a ordem do dia e dão um ar especial ao lugar, mesmo que fotos do interior do templo não sejam permitidas.

Do lado de fora a riqueza de detalhes também é de cair o queixo e lá sim, você pode fotografar a vontade!

Você também pode aproveitar e fazer um lanche no popular restaurante vegetariano do templo.

Caminho da Sabedoria (Wisdom Path)

Chegando a entrada do Budão você vai ver sinais para o Caminho da Sabedoria. A caminhada leva cerca de 15 minutos e é bem fácil e agradável. Esse é um lugar que passa despercebido para muitos turistas, então tende a ser mais tranquilo. Por ali você também vai ver diversas áreas de camping e outras trilhas para seguir, existe até um Albergue da Juventude. Considere passar uns dias por ali se você gosta de natureza e calmaria.

Ao chegar ao Caminho da Sabedoria você verá 38 colunas de madeira, cada uma tem cerca de 10m de altura e inscrições chinesas que representam orações budistas. Infelizmente não existe tradução em inglês. Olhando de perto você vai perceber que as colunas são colocadas de forma a representar um 8, o símbolo do infinito. Repare também que a coluna mais alta não contém nenhuma inscrição, a razão por trás disso é que ela representa o “vazio”.
 

Tian Tan Buda

O Tian Tan Buda, informalmente conhecida como o “Grande Buda”, é uma enorme estátua de bronze de 34m de altura, erguida em 1993. Ela levou 12 anos para ser completada e para chegar até sua base é necessário vencer uma longa escadaria com 260 degraus, que vale muito o esforço!

A estátua é voltado para o Norte, e ao final da tarde projeta uma sombra impressionante sob o monastério Po Lin. O interior do Buda abriga um museu com diversas relíquias.

Dica: deixe a subida para o final do dia, as fotos ficam melhores quando o sol não está a pino, e você ainda pode ver a impressionate sombra sob o monastério!


Tai O, a Vila dos Pescadores

Tai O é a vila do povo Tanka, uma antiga comunidade de pescadores que habita a Ilha de Lantau a gerações, e foram provavelmente seus primeiros habitantes. De forma a resistir às mares, os Tanka vivem em casas de palafitas que são interconectadas por estreitas passarelas, formando uma fechada comunidade que vive literalmente sob a água.

O ônibus 21 na Vila de Ngong Ping leva até lá. O lugar é o paraíso das fotografias! A pitoresca vila de pescadores tem um ar calmo e, ao entardecer, se você se aventurar pelo bairro e for discreto, poderá apreciá-los cozinhando, descansando no sofá, jantando e assistindo novela. As portas vivem abertas e as casinhas são super aconchegantes.

A vila é famosa pela venda de peixe seco, e há todo tipo de peixe à mostra, de enormes polvos a tubarões, que são vendidos em diversas lojas e restaurantes à beira do canal que divide a vila e permite uma ótima visão dos barquinhos entrando e saindo.

A Vi dividiu um "husband" comigo, um enroladinho feito de porco e lula (seca) com salada, embrulhado numa panquequinha quentinha... uma delícia! Saindo dali, de cara ela encontrou um bolinho de arroz (mochi) passado no coco ralado recheado de manga fresca. Haja comilança!!

Dica: na nossa opinião o Templo dos Mil Budas e o Buda gigante são lindos e impressionam, mas nada nos agradou mais do que o passeio pela vilinha e deixaríamos essa visita por último.

Depois que você se decepciona com tanta turistada, chegar em Tai O dá um ar de "marcar um gol nos 47 do segundo tempo"! O sentimento de estar entre os locais, em um lugar autêntico, e poder sentir a vibe de onde eles vivem, trabalham e moram, tem peso triplo quando se trata de experimentar da realidade da cultura local. Dali você pode andar 5 minutos e pegar um ônibus que te leva direto de volta para a estação de Tung Chung. No ônibus pra estação ainda deu tempo até de fazer um amigo chinês, professor de Tai Chi Shuan. Se der tempo vamos assistir uma aula...
 


Além da Vila dos Pescadores...

Da Vila de Pescadores ainda há mais para ser explorado. Você pode pegar o ônibus 1 e chegar até a costa sul da ilha e aproveitar a praia!
 

Atrações inusitadas de Hong Kong

Chungking Mansions Mall

Não canso de falar da Chungking Mansions! Mesmo que você não vá ficar lá, vale muito explorar o primeiro e segundo andares do prédio, com suas infinitas lojas, restaurantes e uma maluca mistura de etnias coabitando no mesmo lugar. É com certeza o maior retrato da complexidade e diversidade de Hong Kong!


Mercado de Stanley (Stanley Market)

stanley-market.jpg

Quando se viaja pela Ásia existe uma expectativa de que a gente vai encontrar barganhas e pequenos tesouros que são únicos de cada lugar. Infelizmente existe muito pouco disso no Mercado de Stanley. Vale a pena a ida pra conhecer Staleny, mas eu não sairia do meu caminho apenas pelo mercado. Nos mercados da península - como o Evening Market e o Ladies Market - você encontra as mesmas coisas, mas com melhores preços.
 

Abrigo de tufões da Baía CAUSEWAY (CAUSEWAY bay thypoon shelter)

Em meio a uma frota de iates de luxo, uma subcultura ainda sobrevive, um pequeno grupo de moradores de barco que vivem no Abrigo de tufões da Baía Causeuay. Os Tanka estão entre os primeiros subgrupos étnicos de HK, sua origem é incerta mas é aceito que eles foram indígenas que habitaram o Sul da China e começaram a morar em barcos em águas costeiras devido à dispersão causada pela invasão Han vindo do Norte, a partir de 221 DC, durante a Dinastia Qin. O termo “Tanka” é atualmente considerado pejorativo e não é mais utilizado.

O contraste dos enormes iates de luxo com os dos simples pescadores parados lado à lado é impressionante. Adicione a isso o fato de que a avenida também é logo ao lado e muitos barcos ficam literalmente embaixo do viaduto, dando um novo sentido a expressão “morar embaixo da ponte”!

 Um novo significado para "morar embaixo da ponte"...

Um novo significado para "morar embaixo da ponte"...

Antigamente era possível comer em um desses barcos que serviam peixe fresco preparado na hora! Existia até um barco igreja e um barco supermercado! Isso acabou e agora o único barco que serve comida nada mais faz do que receber o rango dos restaurantes da ilha e servi-la para os turistas, por um preço 3x mais caro. Uma pena, e quase caímos nessa armadilha!

Atenção: as novas obras de expansão da Ilha de HK causaram o fechamento do lugar e a remoção dos barcos :-(
 

Arma do meio-dia na Baía de Causeway (Noonday gun)

Situado em um pequeno local fechado, no distrito beira-mar da Causeway Bay, a Nooday Gun é uma peça de artilharia cerimonialmente disparada todos os dias, ao meio-dia. Existe uma lenda muito interessante por trás desse costume, mas a provável verdade é que o papel da arma fosse o de sinalizar a hora para o público. Essa era uma prática comum em muitos portos no século 19, e permitia que os navios ao redor pudessem calibrar seus relógios, que eram usados durante as viagens para calcular as longitudes. Com o passar do tempo essa medida prática acabou por se tornar um costume local. Não subestime o tamanho do canhão, o som do disparo é ensurdecedor!

Observações gerais e recomendações

Nem tudo são flores em HK e, como em qualquer cidade grande, é preciso ficar esperto para evitar contratempos que podem azedar o dia.
 

Truques e muambas em lojas

Especialmente nas lojas de bugigangas do centro, fique atento com o que você está comprando. Lembra do Paraguai nos velhos tempos? Então… É comum te venderem um produto defeituoso, um produto que não funciona como explicado ou demonstrado pelo vendedor, ou pior ainda, trocarem o produto da embalagem e ao chegar ao hotel você descobre que comprou gato por lebre!

Aconteceu com a gente mas a Vivi muito safa, resolveu abrir a embalagem ainda na loja e nos poupou do prejú a tempo!
 

Batedores de carteira

A cidade é muito segura e cheia de polícia. Assaltos são incomuns mas não se pode dizer o mesmo dos batedores de carteira. Fique esperto em aglomerações, especialmente metros e mercados públicos.


Hong Kong te aguarda!